domingo, dezembro 07, 2003

Click

Sentada no piano tenho à minha volta os sábios que me convidaram para cobaia. mantenho uma cara séria, quase apática mas sorrio por dentro. Isto tudo porque não quero ser a , sei que serei a tua vira-pautas.
E vamos tocar Mozart, e eu não queria aquele piano , queria o pianoforte.

Os sábios assertivos, excitados, exclamam que neste compasso eu devia subir as escadas, e surpreender quem está lá no cimo, mas não consigo. ou apareço tipo mulher matrona não convidada, ou ninguém dá pela minha presença. Insistem, repreendem os meus dedos, o meu pulso mal colocado. e lamentam umas mãos esguias e comprimidas.

mulher, este momento era de orgasmo!

mulher, não desesperes, é uma questão de click.

devaneios expostos ao frio.

_____________________________________________________________________

no museu de música de Lisboa, uma mulher ao lado do pianoforte provoca os casais.
nunca mais esquecerá o click, o seu companheiro de uma vida.

(no próximo concerto, é ela que organiza os convites, te prepara a apresentação multimédia que acompanhará a tua música e será a tua Vira pautas.
depois depois volta para o seu click, e utiliza o ouvido não para descortinar se o tom é menor ou maior, mas para escutar o choro dos homens)

sábado, dezembro 06, 2003

o meu sexo pode esperar cheio de flores


(Kristen_wright- pesquisa efectuada nos links do nosso herói )

quarta-feira, dezembro 03, 2003

Um beijo

Um castelo dos destinos cruzados.

A origem dos répteis


Como se faz quando, com a energia dos vinte anos nos deparamos com a morte?
Pedimos desculpa ao filho mais novo, sonhando que a nossa presença não tenha sido marcante?
Como dizemos a uma mãe? … , pedimos desculpa por sermos assim e lamentamos que alguém tenha que perder a inocência?

O nosso riso era vivo e a nossa cumplicidade era…pois era.
Despedimo-nos da expressão viva do olhar.

Recebi as tuas cartas:
Apareceu uma nova aura que me envolve. E quando ao som de Lou Reed, nos cuidados intensivos, fui perdendo as forças e já ninguém tinha coragem, fiquei invisível, a ansiedade disse adeus. mergulhei num mundo sem culpas.

_____________________________________________________________

Quando um dia cheguei a casa percebi a armadilha dos que me esperavam. Receosos , temerários.
Fui dançar e apaziguei-os, mas virei réptil.
______________________________________________________________________


Eu sou um réptil com lábios roxos, embora tenha uma parede que divide parcialmente os dois ventrículos, em parte os sangues arteriais e venoso misturam-se.
não me envolvi na pressão selectiva,
no aumento da eficiência dos corpos.

Desenvolvi no entanto um pele escamosa que me separa de vós. Que me protege de vós. E a minha imagem continua assustadora e as meninas gritam Ai que nojo e os meninos ficam entretidos a ampará-las.

Os lábios roxos pousam um no outro. Engoli alguém, a sereia que me envolvia
Os meus beijos lançam gás carbónico.
Tudo é tão simples.

terça-feira, dezembro 02, 2003

As Vossas Palavras


Lena Olin (a There - insustentável leveza do ser) põe o seu chapéu preto

olha para o espelho e a sua alma
__________________________Relembra a intimidade de um abraço, a sensualidade de um momento perfeito, ao som da música dos corpos, acompanhados pelos ritmos inusitados de um piano que se ouve ao longe na distância dos suspiros que se desenham junto ao ouvido.


o ke é que ele estará a tocar?????

Solta uma das suas gargalhadas que intimida os amantes e a sua voz grave ecoa na sala:

não consegui controlar um impulso do sexo AH! e não consegui controlar o nó no estômago! ___________________________________

Lena é mulher
Ela vai

arrastar a paixão. atrasá-la. segurá-la. a vontade de fazer amor. sexo. segurar. arrastar docemente o tempo. ouvir a música suave da pele que pede. do tacto. respirar fundo. devagar. ouvir a respiração dela. dele. atrasar um momento que sabemos vai ser ainda mais mágico. saber esperar na certeza de que vai ser bom. já foi bom. é bom aguardar a segunda página. aquele pedaço incrível de futuro. que sabemos nos calhou. cair na loucura de tudo esquecer e deixá-la fazer o resto. sofregamente. depois ainda poderá vir um bom sono. boa música. bom vinho. um passeio à beira mar mesmo que interior. o recolhimento de uma lareira. a amizade de um livro. a dois ou só. que importa.

Ulamonge é Homem
Ele vai pegar na máquina fotográfica: iniciar uma viagem ao desconhecido.

Alguém diz: É lindo


(obrigada pelos vossos comentários e não levem muito a sério esta rápida brincadeira com as vossas palavras)